Em 2019, o impacto de Bolsonaro na ONU foi maior

Em 2019, o impacto de Bolsonaro na ONU foi maior
(Brasília - DF, 22/09/2020) Presidente da República Jair Bolsonaro, durante gravação de discurso para a 75ª Assembleia Geral da ONU. Foto: Marcos Corrêa/PR

Manoel Fernandes
Diretor BITES

No conjunto de quatro variáveis – tweets publicados, hashtags positivas e negativas, buscas no Google e exposição na mídia internacional – repercussão do discurso do presidente Jair Bolsonaro hoje na Assembleia Geral da ONU foi menor daquela registrada em 24 de setembro de 2019, quando ele estreou na tribuna dos chefes mundiais.

No ano passado, a presença de Bolsonaro na ONU rendeu no dia 845 mil tweets e hoje até às 21h o número estava em 502 mil, sem indicação que irá superar o resultado do ano passado.

Nos últimos 12 meses, o pico de citações ao presidente da República (3 milhões de tweets) ocorreu em 24 de abril, dia da demissão do ex-ministro da Justiça Sergio Moro.

No ano passado na ONU, as hashtags negativas sobre Bolsonaro foram utilizadas em 77 mil posts no Twitter. Quem defendeu o presidente, o fez em torno de 68 mil hashtags.

Hoje, essa relação ficou em 42 mil tweets com palavras-chave negativas e 26 mil positivas.

O interesse sobre Bolsonaro nas buscas no Google no mundo, incluindo as consultas no Brasil, também foi menor este ano.

Em setembro de 2019, no dia do discurso, essa taxa ficou em 26% na escala que vai de 0 a 100. Hoje, o pico foi 13.

Hoje, na mídia internacional, entre 5.252 artigos publicados por sites de notícias e veículos alternativos, entre os 300 de maior repercussão junto à opinião pública, o discurso de Bolsonaro apareceu em apenas três sites.

O texto de maior propagação ficou na 36ª posição com 1.700 interações.

Bem diferente de 2019 quando em 8.767 publicações, um artigo sobre o presidente no site da New Yoker alcançou a 28ª posição em interações dentro desse universo (15 mil).

BITES – DADOS PARA DECISÕES