COVID-19 | O medo chega nas pequenas cidades

COVID-19 | O medo chega nas pequenas cidades

Equipe de Análise BITES

O interesse da opinião pública digital na pandemia do Coronavírus atingiu seu pico de interesse  no dia 16 de março às 18h, considerando os últimos sete dias. As consultas realizadas no Google Brasil chegaram no teto de 100 na escala que se inicia com zero, que representa o menor interesse.

É o mais expressivo resultado desde 26 de fevereiro, quando o primeiro caso de Covid19 foi notificado no Brasil. Como em outras situações, a população com acesso à Internet (136 milhões de brasileiros) transformou o Google no seu principal oráculo por informações da pandemia. Não se percebe no governo federal qualquer estratégia mais assertiva de comunicação digital para suprir essa demanda.

Como já se sabe, a Internet será o principal canal de desinformação dessa crise e poderia ser utilizada de maneira assertiva para conter o medo já instalado na população. Nem o Congresso Nacional que tem mais de 100 milhões de fãs e seguidores nos perfis dos deputados e senadores está sabendo utilizar essa plataforma como instrumento de informação.

PEQUENAS CIDADES

Nas últimas 24 horas, as cidades brasileiras com maior interesse em torno do Covid19 no Google são Senador Canedo em Goiás, Caruaru em Pernambuco, Viçosa em Minas Gerais, Timon e Luziânia no Maranhão.

Esse comportamento revela que o receio do Corona está saindo dos grandes centros e migrando para o interior do País. Essas cidades têm infraestrutura hospitalar mais precária, estão longe do radar epidemiológico das autoridades e podem registrar em função dessas circunstâncias uma maior taxa de propagação e de letalidade do vírus pode ser mais expressiva. Além de muitos boatos e fakenews.

Em São Paulo e no Rio de Janeiro, as consultas ao Corona também são significativas. Nas últimas 24 horas, cariocas e paulistas estão mais preocupados em descobrir como será a dinâmica nas academias de ginástica com a pandemia e também se interessam na indicação dos grupos de riscos do vírus.

BRASIL EM TERCEIRO

O dia de hoje termina com 14,7 milhões de tweets produzidos no mundo sobre o Covid19, sendo 544 mil no Brasil, o terceiro país com maior volume de posts sobre o tema atrás dos EUA (2,4 milhões) e Reino Unido (565 mil).

70% DAS NOTÍCIAS SOBRE COVID19

A mídia mundial está focada quase na sua totalidade no problema da pandemia. Do total de 293 mil artigos produzidos por veículos profissionais e alternativos do planeta, 70% tratam da pandemia. No Brasil essa taxa está em 42%.

No mundo, o texto recordista com 496 mil interações no Facebook e Twitter foi produzido pelo site Variety e traz a notícia do teste positivo do ator inglês Idris Elba.
No Brasil, o recordista com 106 mil interações saiu no site do Estadão e traz o pedido do jurista Miguel Reale Junior para que uma junta médica avalie a sanidade mental do presidente Bolsonaro.


BITES – DADOS PARA DECISÕES