A política analógica agora é passado

A política analógica agora é passado
Governo

Por Manoel Fernandes | Diretor BITES

Em 2019, os agentes políticos nacionais produziram mais de 1 milhão de posts em suas redes sociais e conquistaram 2,2 bilhões de interações

Base de seguidores do Congresso Nacional cresceu 41%

Damares e Moro são os ministros com maior capacidade de engajamento digital.

Não há mais espaço para políticos analógicos no Brasil. Em 2019, o ecossistema digital dos Poderes Executivo e Legislativo (o presidente Jair Bolsonaro, os ministros, os deputados federais e os senadores) produziu a média de 3.008 posts por dia em seus perfis oficiais no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

A reação da opinião pública digital também foi expressiva. Em média, esses posts receberam 6,2 milhões de interações por dia (comentários, curtir, compartilhamentos e retuítes). Esse comportamento mostra que o eleitorado brasileiro (75% dele conectado à Internet) continua acompanhando e amplificando o trabalho dos parlamentares. tanto para elogiar quanto para criticar.

No estudo “O Ecossistema Digital da Política do Brasil em 2019”, BITES traz essas análises e outras de interesse do universo corporativo. Mais informações em bites@bites.com.br

A política nacional nunca esteve tão conectada como agora e a cada dia mais dependente da Internet.

A base de fãs e seguidores dos perfis dos deputados e senadores em 2019 cresceu 41% em 2019. Saiu de 104,3 milhões em janeiro para 146,6 milhões em 31 de dezembro.

Parlamentares e integrantes do Poder Executivo produziram no ano passado 1.082.968 posts em suas contas oficiais nas redes sociais e alcançaram 2.254.810.756 interações.

A polarização da eleição de 2018 se manteve em 2019. Os dois grupos (bolsonaristas e oposição) reforçaram as posições de seus aliados nas redes sociais com alguma vantagem dos partidários do presidente que continuaram bem ativos.

Apenas com um perfil no Twitter, o ministro Sérgio Moro se revelou um dos integrantes do governo mais populares na Internet e em condições de atrair a atenção da opinião pública digital para seus posts.

Em 2019, considerando o volume de interações, ele perdeu apenas para a ministra Damares Alves, outro fenômeno das redes sociais da administração Bolsonaro.

Na Câmara dos Deputados, a deputada Joice Hasselmann sofreu com críticas dos bolsonaristas, perdeu fãs, mas terminou o ano com um crescimento de 101% na base de seguidores.

Mais informações sobre o estudo em bites@bites.com.br