O sequestro do ônibus e as queimadas: descompasso entre o Brasil e o mundo

O sequestro do ônibus e as queimadas: descompasso entre o Brasil e o mundo

Por André Eler, gerente de Relações Governamentais na Bites

O sequestro de um ônibus na Ponte Rio-Niterói, ontem, foi o assunto que mais atraiu a atenção da opinião pública digital no Brasil desde ontem. Das 300 notícias com maior repercussão no Brasil publicadas até as 15h30 desta quarta-feira, 93 foram sobre o sequestro no Rio de Janeiro. 

Foto: Brasil 247

Essas notícias somaram 3,3 milhões de interações no Facebook e no Twitter. Entre as dez notícias com mais interações em português, 5 foram sobre o sequestro. Uma delas destacou Wilson Witzel (https://glo.bo/31Tn1sF, 340,3 mil interações). O governador, ao comemorar a ação, dividiu as opiniões e polarizou ainda mais o debate político. Bolsonaristas o defenderam e perfis mais alinhados à esquerda chegaram a chamá-lo de sociopata por comemorar efusivamente uma morte. Witzel e Bolsonaro também foram mencionados no título da matéria do Estadão repercutindo a morte (https://t.ly/LqkNm, 151,1 mil interações), também na lista de 10 mais populares em português. 

Apesar disso, teve grande destaque uma cena bem humana em meio à repercussão do sequestro: o pai de uma vítima consolou a mãe do sequestrador que foi morto.

Fora do país, desde ontem, o Brasil também foi destaque. Apesar de o sequestro ter sido a principal foto na capa do Wall Street Journal, por exemplo, foi a Amazônia que chamou a atenção da opinião pública global. As duas notícias com mais interações no mundo desde ontem foram da BBC, em inglês, e da CNN, falando sobre as queimadas na Amazônia somaram 1,1 milhão de interações no Twitter e Facebook (https://bbc.in/2KOuSSVhttps://t.ly/Bd6EB). Com menor interesse, o USA Today também noticiou o recorde nas queimadas na floresta (https://t.ly/Bd6EB, 77,1 mil interações). 

Não é que o assunto das queimadas na Amazônia e as declarações de Bolsonaro e Ricardo Salles não tenha chamado a atenção também no Brasil. Das 300 notícias mais importantes do país no dia, 53 foram sobre o tema ambiental. Elas somaram 1,5 milhão de interações no Twitter e Facebook, com destaque para a acusação sem provas de Bolsonaro contra ONGs, que figurou entre as dez mais populares em português (https://glo.bo/31UglKS, 233 mil interações). Os dois temas ainda dividiram atenção com uma condenação de Fernando Haddad e com a privatização dos Correios. 

De qualquer forma, fica evidente o que realmente interessa ao mundo no país. Enquanto no Brasil um evento que poderia ter terminado em tragédia de grandes proporções acabou virando palco para polarização e para exploração política, sobretudo por Wilson Witzel, o mundo se preocupa com o futuro da Amazônia

Fechar Menu